PREVALÊNCIA DA QUEIXA DE DOR LOMBAR EM PACIENTES QUE PROCURARAM ATENDIMENTO EM UMA CLÍNICA ESCOLA DE FISIOTERAPIA DO MUNICÍPIO DE PINDAMONHANGABA – SP

Autores

  • Sandra Regina de Gouvêa Padilha Galera
  • Ana Clara Silva Cézar
  • Mariana Gonçalves da Silva
  • Elaine Cristina Alves Pereira

DOI:

https://doi.org/10.35572/rsc.v8i3.22

Resumo

A lombalgia é descrita como quadros dolorosos na região lombar inferior e lombossacral da coluna vertebral, sendo importante destacar que esta patologia é a que mais acomete a população quando se trata de dores crônicas e a que mais gera afastamentos do trabalho. Esta pesquisa teve como objetivo estimar a prevalência de pacientes com queixa de dor lombar que procuraram atendimento na Clínica Escola de Fisioterapia de uma Faculdade no município de Pindamonhangaba-SP, entre os anos 2013 a 2017. Trata-se de um estudo de dados secundários, dos pacientes atendidos no Setor de Traumato-Ortopedia, cujas informações estavam registradas em ficha de avaliação padrão para problemas ortopédicos. Foram extraídos dados relacionados ao sexo, idade, ocupação, número de sessões até a alta fisioterapêutica e o número de sessões até o abandono, quando ocorrido. Apresentou-se os resultados por meio de distribuição de frequência, medidas de tendência central e dispersão e gráficos, utilizando o programa Windows Excel versão 2013. No período de cinco anos 2.173 pessoas procuraram a clínica escola, 447 (20,5%) apresentavam queixa de lombalgia, a maior parte (71,6%) era mulheres, até a alta foram em média 12 sessões, sendo que 67,8% finalizaram o tratamento e 32,2% abandonaram antes da alta. Sendo assim, verificou-se que a prevalência de queixa de dor lombar entre os pacientes atendidos em uma clínica escola foi menor do que a descrita pela literatura, no entanto, a maior prevalência entre o sexo feminino vai de encontro com outros autores, assim a alta proporção de abandono do tratamento.

Publicado

2019-12-30